Você sabe ou conhece o verdadeiro papel do vereador?!

Givaldo Luiz ao seu dispor e saiba, nestes quatro anos serei um fiscalizador dos serviços públicos assim como representante da causa municipal, tendo consciência do papel e do dever do vereador que é inteiramente servir a população e não ser servido por ela.

Por Givaldo Luiz 16/11/2016 - 19:55 hs
Você sabe ou conhece o verdadeiro papel do vereador?!
Divulgação

O vereador é um representante da população, assim cabe ao mesmo a atribuição de expor os problemas da comunidade e buscar providências junto aos órgãos competentes para que tais problemas venham a ser sanados. Ao vereador cabe-lhe ainda a função de legislar e fiscalizar as obras públicas.

 

O cidadão que foi eleito vereador tem obrigação de fiscalizar as contas do Poder Executivo Municipal e do próprio Legislativo o que o torna um importante ator no controle social, algo extremamente necessário para o processo democrático.

 

Um dos pré-requisitos básicos da democracia é a existência de um Poder Legislativo forte, sem isso a democracia é deficiente, capenga. No Brasil, apesar das leis falarem claramente em “poderes independentes e harmônicos entre si”, ainda falta muito para que isso se torne uma realidade.

 

Lamentavelmente, as contradições começam a nível nacional estadual e municipal quando temos parlamentares que em sua maioria são subservientes e fiéis aos interesses políticos e econômicos e até mesmo aos interesses próprios, o que faz com que essa função tão importante perca seu sentido de utilidade pública. 

 

E aqui fica a pergunta: será que o vereador que presta apoio político incondicional aos seus próprios interesses em troca de benefícios pessoais, exercerá livremente seu verdadeiro papel? Não. E é isso que acontece na maioria das cidades brasileiras. Isso precisa ser mudado.Vereador deve saber o seu verdadeiro papel junto com sua comunidade e o seu povo, deve ser atuante e sempre ter a coragem de concordar com o que considerar certo e discordar do que considerar que esteja errado. Deve agir com conhecimento e desarmado de ódios ou rancores ou mesmo de paixões particulares.

 

São fatores como esses que a população deve observar e cobrar de seus representantes. Aliás, a população precisa frequentar as reuniões dos Legislativos Municipais, para saber como estão se comportando os representantes do povo.

 

Também é válido lembrar que pela estrutura social brasileira, ao vereador é sempre cobrada a função de assistente social o que vem a deturpar totalmente a função do mesmo. Isso advém de longe, costumes “coronelísticos” que persistem como herança política da República Velha. Infelizmente, devido à realidade de pobreza da maioria dos nossos municípios, ainda se pensa assim, o que torna desfigurada a ação política. Essa mentalidade tanto compromete o eleitor, vítima maior, por falta de educação política, quanto ao vereador, que não dispondo de condições materiais para solucionar os problemas do seu eleitorado, obriga-se a procurar pessoas ardilosas no manejo eleitoreiro, contudo, tanto no caso do eleitor como do vereador, predomina-se a escassez de educação política. Precisamos de vereadores atuantes, dispostos a romper com os costumes persistentes de subserviência e vício. O vereador deve agir sem apego a benefícios pecuniários. Ele deve usar, com disposição, a prerrogativa de fiscalizador, sanando possíveis injustiças, sobretudo pela tendência descentralizadora existente.

 

Vereador consciente contribui efetivamente para o desenvolvimento humano e social do seu município, ajudando o povo a pensar e se organizar.

 

Ciente do papel do vereador e das funções inerentes do seu serviço, apresento meu nome Givaldo Luiz ao seu dispor e saiba, nestes quatro anos serei um fiscalizador dos serviços públicos assim como representante da causa municipal, tendo consciência do papel e do dever do vereador que é inteiramente servir a população e não ser servido por ela.

 

Curta a página oficial AlagoasNT no Facebook e @AlagoasNT no Twitter.







Deixe seu Comentário