Polícia recebe amanhã exame de DNA que confirma morte de agropecuarista

Laudo será acrescido ao inquérito presidido pelo delegado Guilherme Iusten

Foto: Ricardo Lêdo


O delegado Guilherme Iusten, que presidente o inquérito policial que investiga a morte de Cristóvão Rodrigues da Silva, recebe amanhã o resultado do exame de DNA realizado pelo Laboratório de Genética Forense do Instituto de Criminalística de Alagoas nos restos mortais do agropecuarista de 61 anos. 

 

O exame foi solicitado pela família da vítima, cujo corpo foi localizado no início de dezembro do ano passado dentro do veículo Ranger, que pertencia a ele, nas proximidades da Usina Terra Nova, na cidade do Pilar, região metropolitana de Maceió. O corpo apresentava no crânio marca de um projétil, indicando que a vítima foi executada.

 

Segundo o perito criminal Marek Henryque Ferreria Ekert, o exame de DNA confirma que o corpo, na realidade uma ossada, é mesmo do agropecuarista que desapareceu em agosto do ano passado. A polícia não tem divulgado detalhes sobre a investigação ou autoria do crime. O exame foi solicitado pela família de Cristóvão para que não restasse nenhuma dúvida sobre a identidade, uma vez que a ossada já havia passada pelo exame de arcada dentária com resultado compatível ao agropecuarista.

 

Para o inquérito policial, o resultado do exame DNA comprovará a materialidade do crime de homicídio com a identificação da vítima.  O agropecuarista Cristóvão desapareceu em três de agosto, no município de Murici. Ele dirigia uma Ford Ranger de cor preta e placa QLB-1274.

 

Desesperada, a família realizou buscas por diversas regiões do estado de Alagoas e em outros estados na esperança de conseguir alguma informação que levasse até o paradeiro dele. E se recusou a fazer o sepultamento dos restos mortais, antes da realização do exame de DNA.