Justiça suspende início das matrículas de aprovados no vestibular da Uncisal

Decisão do juiz Antônio Emanuel Dória torna sem efeito resultado do vestibular, corrigido após falhas no sistema de cálculo. Matrículas começariam na segunda (29).

Por Edilane Almeida com G1 29/01/2018 - 09:43 hs
Foto: Hágata Christye/G1


Justiça suspendeu as matrículas para os alunos aprovados no vestibular da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (Uncisal) que estavam previstas para começar na segunda-feira (29).

 

Depois que o resultado do vestibular foi divulgado, o Instituto AOCP, organizador das provas, constatou erros no sistema do cálculo. Dias depois, a Uncisal divulgou uma lista de aprovados corrigida, que deixava de fora 157 candidatos que apareciam na primeira relação. Só no curso de medicina, houve mudança em 48 dos 50 aprovados.

 

A decisão liminar (temporária), de autoria do juiz Antônio Emanuel Dória Ferreira, foi tomada durante o plantão judicial neste domingo (28). A instituição tem até 10 dias para prestar esclarecimentos sobre o caso e, até que isso ocorra, as matrículas seguirão suspensas.

 

A reportagem do G1 entrou em contato com a assessoria da Uncisal, que informou não ter sido notificada oficialmente sobre a decisão, e que só vai se pronunciar quando isso acontecer.

 

O Mandado de Segurança que pedia a suspensão das matrículas é de autoria do advogado Pedro Acioly. Ele explica que foi procurado por um grupo de 20 alunos retirados da lista de aprovados após a recontagem das notas.

 

“Eles falaram comigo na sexta (26). Alguns deles tinham direito à bonificação de 5% na nota por estudarem em escola pública mas não receberam nessa nova correção. Teve também um outro caso de uma estudante que teve a redação aprovada na primeira lista, mas na segunda teve a mesma redação anulada. Como a pessoa dá uma nota e depois zera? Existem muitas dúvidas”, explica o advogado.

 

Além da suspensão, o magistrado também pede explicações sobre a forma como as correções foram realizadas e torna sem efeito resultado do vestibular.

 

"Concedo a liminar requerida, determinando que seja tornado sem efeito o resultado do Vestibular da Universidade Estadual de Ciências Médicas de Alagoas-UNCISAL, suspendendo as matrículas para os cursos ofertados no certame até a pestação das informações claras por parte da autoridade coatora quanto à divulgação de duas listas de Aprovados", diz trecho da decisão.

 

O advogado ressalta a necessidade de se esclarecer a forma como aconteceu a retificação. “Estamos cobrando também esclarecimentos sobre o critério de correção, da soma das notas, correção das redações, que é algo subjetivo na primeira e na segunda correção”.

 

O Ministério Público (MP-AL) foi acionado pelos alunos que se sentiram prejudicados e está investigando o caso.