Após muitos escândalos cantor gospel tenta se reeleger há 8 anos

Depois de não ter mais o apoio dos evangélicos ele tenta a sorte em outros estados

Foto: Reprodução


Para o cantor gospel Marcos Antônio, mas conhecido como “O Negrão abençoado” conseguir voltar a câmara federal tem sido uma missão impossível. Ele já foi um grande puxador de votos da Igreja Assembleia de Deus de (PE), mas hoje a comunidade evangélica já não lhe respeita mais como um porta-voz dos seus interesses.

 

Marcos Antônio conseguiu se eleger deputado federal por Pernambuco nas eleições de 2006, com 62.019 votos, um feito inédito em sua carreira. Com a popularidade em alta e o apoio de muitos líderes evangélicos, não foi tão difícil conseguir o cargo de federal.

 

No decorrer dos anos o cantor se envolveu em muitos escândalos que acabaram manchando sua imagem e prejudicando a sua carreira. Sendo proibido de cantar em várias igrejas, como por exemplo a Assembleia de Deus de Pernambuco, o cantor optou então se refugiar na Paraíba, onde em 2010 tentou a reeleição mas só obteve 32.488 votos, quase a metade do que havia recebido em 2006.

 

Nas eleições para prefeito de 2012, o cantor voltou para Pernambuco e disputou a vaga de prefeito da cidade de São Lourenço da Mata (PE), sua terra natal. O resultado não foi diferente, perdeu outra vez. Em 2014 tentou outra vez ser deputado federal defendendo a bandeira da Paraíba, e mais uma vez perdeu, obteve 24.603 votos.

 

Cada vez mais envolvido em escândalos, e sem o apoio dos líderes evangélicos e dos fies, Marcos migrou para o estado da Bahia, e saiu deputado federal pelo (PTC) nas eleições de 2018, e obteve o seu pior desempenho com apenas 4.367 votos.

 

O fraco desempenho nas urnas, apenas espelham a realidade de sua popularidade. O cantor que já foi um dos preferidos do público evangélicos, a cada dia entra para lista dos esquecidos e ex-famosos que alcançaram o ápice do sucesso, mas infelizmente não conseguiram se manter.