Chamusca fala em corrigir gols sofridos no fim e avisa:

Apresentado pelo CRB na última quarta-feira (10), o técnico Marcelo Chamusca falou das projeções para a final do Campeonato Alagoano.

Por redação com Tnh1 | www.AlagoasNT.com.br 12/04/2019 - 21:20 hs
Foto: Gustavo Henrique / CRB


Apresentado pelo CRB na última quarta-feira (10), o técnico Marcelo Chamusca falou das projeções para a final do Campeonato Alagoano. Com poucos dias para treinar e conhecer o elenco, o novo treinador do Galo comentou sobre o que fazer no curto período de tempo e sobre como corrigir, por exemplo, o problema dos gols sofridos nos últimos minutos das decisões. 

 

"É uma defesa consistente se você pegar os números, mas os dois últimos jogos que foram jogos decisivos, o script foi mais ou menos o mesmo. Tomou gol nos minutos finais. Tem que fazer um trabalho muito forte não só em relação a questões táticas de jogo na verdade, que são inerentes a questão defensiva, que diga-se de passagem gostei muito da postura da equipe defensivamente no jogo. Não é um aspecto isolado. Futebol na verdade nunca tem aspecto que seja isolado. São vários componentes inseridos dentro da mesma situação. Vamos ter que trabalhar mais essa questão emocional de que aconteceu em dois jogos, mas pode acontecer a nosso favor no próximo jogo. Futebol dá essa condição, a gente tem essa oportunidade a cada jogo". 

 

Marcelo Chamusca chega ao CRB justamente no momento em que o clube vai decidir o título estadual com o rival CSA. A primeira partida será neste domingo (14), às 16h, no Estádio Rei Pelé, em Maceió, com mando de campo do Azulão. 

 

Veja outros trechos da coletiva. 

 

Chegada ao CRB


"Estou há muito tempo no futebol, só como treinador são 25 anos de carreira. Todo profissional que milita no futebol... Já vivi momentos de euforia de grande resultados e momentos de dificuldade também. A gente vai aprendendo, vai ficando cascudo e passa a ter uma assimilação muito rápida do que acontece tanto para o bem quanto para o mal". 

 

"Tenha certeza que, quando eu aceitei o convite, já havia a primeira eliminação (Copa do Nordeste), e a gente sabia que existia uma possibilidade de acontecer a segunda porque estávamos enfrentando um grande adversário, com o maior investimento dos clubes aqui do Nordeste. Um time muito forte jogando em casa. Todo o contexto que estava envolvido no jogo, eu tinha consciência que poderia acontecer. Estou muito preparado e conheço alguns jogadores do grupo. Temos um grupo experiente. Pode ter certeza que a partir de amanhã (quinta) mobilizar para fazer um grande jogo domingo contra o CSA". 

 

Mudanças no time?

 

"Acho que a gente tem alguns aspectos que são importantes. Primeiro essa questão da experiência para que a gente possa mobilizar e criar uma situação diferente através do diálogo, da comunicação com os atletas, e do pouco tempo que vamos ter para treinar. Não deverão acontecer grandes mudanças em relação a questões táticas de formação, porque não se tem tempo hábil para fazer isso. E a gente tem que ter sabedoria e inteligência para entender o momento". 

 

"É tentar pontuar algumas situações que a gente entenda que são importantes, procurar colocar aqueles que estão na melhor condição em todos os aspectos: físico, mental e principalmente em relação a questão tática da equipe. E acho que um ponto principal, e esse acho que temos uma capacidade muito grande, que é análise do nosso adversário. Isso vamos fazer de uma forma intensa e muito detalhada para que possamos ter um conhecimento prévio e o maior possível para podermos passar o máximo de informações para os nossos atletas. E junto com a diretoria, torcida, comissão técnica, todos juntos, porque só assim vamos conseguir ter êxito nesses dois jogos. Acredito muito nessa condição".