Santos domina, mas para na defesa do CSA e só empata

Neste domingo, 'él amor por él balon' não foi suficiente. Peixe dominou, mas parou no 'ônibus' do CSA, que segurou o 0 a 0.

Por Terra | www.AlagoasNT.com.br 05/05/2019 - 21:10 hs
Foto: Carlos Ezequiel Vannoni/Agência Eleven / Gazeta Press


O 'amor por él balón', lema de Jorge Sampaoli, não foi suficiente neste domingo. No Estádio Rei Pelé, em Maceió-AL, o Santos teve amplo domínio da posse de bola, mas o CSA estacionou um "ônibus azul" à frente da área defensiva e segurou o 0 a 0. No contra-ataque, o Azulão ainda perdeu a melhor chance do jogo, com Victor Paraíba.

 

Com o resultado, o Alvinegro praiano alcançou os sete pontos e manteve-se no pelotão de cima no Campeonato Brasileiro. Com dois empates e uma derrota, o time alagoano ainda não venceu na competição. O Peixe volta à campo no próximo domingo, às 16h, para enfrentar o Vasco em São Januário.

 

Com 'amor por el balón', como gosta o argentino Jorge Sampaoli, o Santos começou dominando a posse de bola e abusando das triangulações pelos lados para chegar ao ataque. Porém, mantendo a sina da temporada, o Peixe sentia falta de presença de área e não conseguia finalizar.

 

Sinal verde!


O CSA se limitava a frear o ímpeto santista e parecia confortável. Isso, até que o veterano Apodi, veloz como um Fórmula 1, disparou pela direita e exigiu a primeira defesa de Vanderlei. O jogo se abriu e o Alvinegro respondeu. Rodrigo recebeu pela esquerda e chutou de perna canhota. Jordi rebateu pra frente, nos pés de Jorge. Já dentro da área, o lateral dominou e mandou para o gol, mas a bola encontrou a ponta dos dedos do goleiro do Azulão e depois a trave.

 

Estacionou o "busão"


O segundo tempo seguiu a tônica do primeiro, mas dessa vez, com o "ônibus azul" de Marcelo Cabo ainda mais postado à frente da área alagoana. Diante do bloqueio, Jean Mota, que substituiu Veríssimo, arriscou de fora, mas parou em boa defesa de Jordi.

 

Não entra!


A melhor chance praia veio aos 31. Jorge cruzou na segunda trave para Rodrygo, e o atacante chutou rasteiro para Jordi defender com os joelhos. No rebote, Derlis tentou, mas também é travado. Na última sobra, Jean Mota armou o arremate, mas Didira afastou o perigo.

 

Chances de ouro!


Aos poucos, o CSA cresceu e aproveitou o espaço nas costas da alta linha de zaga santista. Aos 34', Victor paraíba teve a chance do jogo. O camisa 16 recebeu linha bola de Didira, passou por Vanderlei, e com o gol aberto, finalizou para a fora. O camisa 16 teve nova chance aos 41, mas foi parado por Vanderlei.