Youtuber abre a “caixa preta” da Igreja Quadrangular

Os relatos assustam, e revelam traições, homossexualidade entre outras coisas

Por O Fuxico Gospel 09/08/2019 - 10:15 hs
Foto: Reprodução


 

Na última terça-feira (6), o canal do Youtube No Entanto, publicou um dossiê sobre a Igreja do Evangelho Quadrangular.  Segundo o youtuber Paulo Souza, dono do canal, ele foi procurado por um ex-membro da diretoria da igreja, que lhe revelou toda a verdade.

 

Os relatos assustam, e revelam traições, homossexualidade, roubo, desvio de dinheiro, notas frias, reformas falsas, laranjas, e outras coisas bizarras.

 

Tudo começou quando o pastor Ericsson Roza Soares, foi expulso da igreja onde pastoreava em Ibiraçu, região Norte do estado do (ES), e enviado para o Rio de Janeiro. Porém, pouco tempo depois, consegui retornar para Vitória.

 

Ericsson teria sido expulso por conta dos escândalos homossexuais que havia se envolvido, mas mesmo assim quando retornou para Vitória, ganhou espaço na igreja de Jucutuquara, onde por meio de um golpe, conseguiu derrubar a pastora local, e assumiu o seu posto.

 

Já na direção da igreja, Ericsson continuou a se envolver com rapazes nos bastidores, até que a sua má fama chegou aos ouvidos do presidente, pastor Aroldo.

 

Diante das denúncias, o pastor Aroldo chegou a pedir o afastamento de Ericsson, mas com uma manobra de mestre, Ericsson se juntou com outros líderes, e conseguiu a expulsão do pastor presidente Aroldo, alegando má administração.

 

Em seguida, ele se tornou secretário de administração e finanças responsável por de todo campo, e colocou um pastor amigo dele na presidência da igreja de Jucutuquara.

 

O pastor Carlos Pereira, também cometia as mesmas práticas de Ericsson, mas com mulheres, e em pouco tempo estava acontecendo orgias no apartamento do pastor, e até mesmo dentro da igreja.

 

Entretanto, nem todos concordando com o que estava acontecendo com a diretoria, e se uniram até derrubar os então líderes, e montar outra diretoria.

 

Com a nova diretoria restruturada, eles queriam a expulsão do pastor Ericsson Roza. Porém, o pastor disse que não iria cair sozinho, pois sabia de muitos podres, e se caísse, levaria muita gente com ele.

 

Refém das ameaças de Ericsson, a nova diretoria decide permitir que ele continue como pastor, e como líder de campo, mesmo sabendo que ele era adepto de práticas homossexuais.

 

Após dois meses que o pastor ameaçou colocar a boca no trombone e entregar os podres de muitos líderes, ele foi encontrado morto.

 

Ericsson Roza foi assassinado dentro da própria casa depois de dar uma festa regada a bebidas, cigarros, e charutos. Ele foi achado morto com 20 facadas na região da barriga.

 

O assassino foi um dos amantes do pastor, um jovem chamado Wellington Mates de Amorim,21. A motivação do crime foi porque o pastor queria manter relações sexuais com ele, mas o jovem se negou. Eles acabaram brigando, e o pastor acabou levando a pior.

 

Na época, a igreja encobriu o caso para que não ganhasse repercussão nacional, e disse que o jovem era um viciado que o pastor ajudava a se livrar da dependência química.

 

A quem acredite que a morte do pastor está ligada as ameaças que ele fez a nova diretoria. Segundo o youtuber Paulo de Souza, toda essa história foi revelada por testemunhas que presenciaram os fatos.

 

Atualmente circula em grupos de WhatsApp um áudio da nova presidente, pedindo para os líderes e membros, não compartilhar o vídeo publicado pelo canal No Entanto, e alegando que a igreja enfrenta uma grande perseguição.