Arthur Lira entra com representação contra senador que o acusou de extorsão

Declaração foi dada em entrevista ao Broadcast Político

Por jornalextra | www.alagoasnt.com.br 07/10/2019 - 17:17 hs
Foto: Divulgação


O líder do PP na Câmara, o alagoano Arthur Lira, entrou nesta segunda-feira, 7, no Conselho de Ética do Senado contra o senador Cid Gomes (PDT-CE). O pedetista comparou o deputado ao ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (MDB-RJ), preso na Lava Jato.

Na última semana, Cid Gomes acusou Arthur Lira de ser responsável por "achacar" o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ) na proposta que detalhou os critérios para a divisão do dinheiro proveniente da venda de petróleo, marcado para novembro. Emperrada nas porcentagens dos Estados e municípios, a verba pode chegar a R$ 100 bilhões.

Para tentar garantir uma fatia maior de dinheiro aos municípios, senadores ameaçaram travar a votação em segundo turno da reforma da Previdência. A declaração foi dada em entrevista ao Broadcast Político,

"O presidente da Câmara está se transformando numa presa de um grupo de líderes liderado por aquele que é o projeto do futuro Eduardo Cunha brasileiro. Eduardo Cunha original está preso, mas está solto o líder do PP que se chama Arthur Lira, que é um achacador", afirmou Gomes.

“Esses caras a gente tem que matar logo no começo, ou denunciar no começo, se não daqui a pouco vira presidente da Câmara e vai ser outro Eduardo Cunha”, afirmou Cid Gomes na entrevista. Na representação, Arthur Lira pede a punição do senador pelo conselho.

Segundo Lira, o senador abusou da sua imunidade parlamentar, incorrendo em quebra de decoro. Cid Gomes é o primeiro senador da legislatura atual a inaugurar o Conselho de Ética e Decoro Parlamentar do Senado, que foi instalado na última quarta-feira, 25