Servente de pedreiro desaparece após ser levado por guardas municipais em Luziápolis

Ele desapareceu na última sexta (04), após filmar um acidente

Por redação com 24hs| www.AlagoasNT.com.br 08/10/2019 - 00:13 hs
Foto: Divulgação


Familiares de José Renildo Cassimiro da Silva, de 26 anos, estão desesperados em busca de informações sobre o paradeiro do jovem que despareceu na última sexta-feira (05), após  ter sido abordado por dois guardas municipais enquanto filmava um acidente no Distrito de Luziápolis, cidade de Campo Alegre, leste alagoano.

 

Segundo informações da esposa do servente de pedreiro, Djéssica Nascimento dos Santos, seu marido saiu de casa na tarde de sexta-feira alegando que iria filmar um acidente que aconteceu na região, entre uma motocicleta e um pedestre. No local, ele teria se desentendido com os guardas municipais, teria sido agredido pela dupla e levado na viatura supostamente para Delegacia de Teotônio Vilela. Contudo, para a surpresa da família, José Renildo não chegou ao 79º Distrito Policial de Teotônio Vilela e até então segue desparecido.

 

“Já procuramos em todos os lugares e não o encontramos. Já fomos em hospitais, nas delegacias de Teotônio Vilela e São Miguel dos Campos e nada. Meu sogro continua realizando buscas por ele, mas até agora não foi localizado. Já confeccionamos um Boletim de Ocorrência na Delegacia Regional de São Miguel dos Campos e  soubemos que a viatura da Guarda Municipal estava com um vidro quebrado e com manchas de sangue. Estamos desesperados por notícias”, informou Djéssica.

 

Djéssica contou  ao Alagoas 24 Horas que nem o celular e nem uma bicicleta, de cor verde,  pertencentes a José Renildo, foram encontrados até agora. “Ele estava em uma bicicleta, que sumiu. O celular – que ele usava para realizar as filmagens, também não apareceu”, disse.

 

 

A mulher informou ainda que após as acusações da família,  os guardas municipais, envolvidos no episódio, não foram mais localizados.

 

Em contato com o Alagoas 24 Horas, a Prefeitura de Campo Alegre informou que já iniciou o processo administrativo para demitir os guardas municipais envolvidos no caso. Além disso, já disponibilizou para a Justiça as imagens de segurança do sistema de monitoramento que flagram o acidente e a abordagem dos guardas municipais.

 

A Prefeitura também alega que repudia este tipo de conduta e que não apoia qualquer ação que fuja das funções reais da Guarda Municipal.

 

A reportagem também entrou em contato com o 61º Distrito Policial de Campo Alegre e foi informada que as ocorrências do fim de semana são registradas na 6ª Delegacia Regional de São Miguel dos Campos uma vez que o expediente na delegacia tem início apenas às terças-feiras, indo até às quintas.

 

Confira a nota da Prefeitura na íntegra: 

 

A Prefeitura de Campo Alegre vem a público se pronunciar sobre o caso envolvendo Guardas Municipais, ocorrido no distrito Luziápolis, e ao mesmo tempo lamentar e repudiar tal conduta, pois esse não se trata do verdadeiro exercício da função de Guarda Municipal.


A Guarda Municipal é uma instituição de segurança pública municipal de caráter civil, uniformizada de acordo com a lei federal N° 10.826, tendo como finalidade precípua o dever de gerar segurança nos limites do município.


Logo que tomamos conhecimento de tal fato, já foi dado abertura a processo administrativo para demissão dos homens envolvidos em tal conduta, pois prezamos pela segurança, pela paz e pela correta atuação profissional, seja em quaisquer função exercida.


Informações ainda que as imagens de segurança do sistema de monitoramento da Prefeitura já foram disponibilizadas para a justiça para a devida investigação, no exato momento do acidente com a criança e a abordagem do referido guarda.


Em momento algum apoiaremos qualquer ação que fuja das reais funções e limites de atuação da Guarda Municipal.


Campo Alegre – 07 de Outubro de 2019