"É rotina faltar combustível no ônibus escolar", denuncia mãe de alunos da zona rural de Arapiraca

Ação ocorreu no Conjunto Rosane Collor

Por Arapiraca 7 segundos 28/02/2020 - 21:03 hs
Foto: Reprodução


A falta de combustível para o transporte escolar de estudantes da rede municipal de Arapiraca não é um problema pontual. Todos os meses, segundo pais de alunos que moram na comunidade Sementeira, as crianças ficam no mínimo três dias sem ir para a escola devido a falta de transporte.

 

"Já virou rotina não ter ônibus porque faltou combustível. Todo mês acontece e aí as crianças perdem três, quatro dias de aula, toda vez", relata uma dona de casa, mãe de duas crianças que estudam na Escola Municipal Manoel João da Silva, no povoado Carrasco.

 

 

Ela conta que, quando não tem aula, ela fica em casa tomando conta de seus filhos de também de uma vizinha, que trabalha fora. "Mas o pior mesmo é que atrasa o aprendizado das crianças. As aulas começaram recentemente e eles já perderam aulas, fica difícil acompanhar depois. Sem falar que hoje em dia existem muitos pais que são exploradores, que colocam as crianças para trabalhar", relatou.

 

Segundo ela, o problema voltou a se repetir esta semana. Depois do carnaval, o transporte escolar não passou na comunidade Sementeira. Nesta sexta (28), no entando, a direção da escola entrou em contato com os pais de alunos informando que o transporte será normalizado no mesmo dia. Conforme a direção, os ônibus já foram abastecidos, mas não deu tempo de pegar as crianças que estudam no turno da manhã.

 

A situação, no entanto, não está resolvida. De acordo com pai de outro estudante, que mora no conjunto Nossa Senhora Aparecida e também estuda na escola municipal do povoado Carrasco, os motoristas dos ônibus escolares afirmaram que o transporte pode parar novamente na próxima semana, mais uma vez devido a falta de combustível. De acordo com a denúncia, a quantidade de óleo diesel abastecida nos ônibus seria suficiente apenas fazer o trajeto duas ou três vezes. 

 

"A gente reclama, mas não podemos nem falar dos motoristas, porque eles recebem por quilômetro rodado. Então nesses dias que eles não trabalham porque a prefeitura não abastece os veículos, eles também não recebem", declarou.

 

A reportagem entrou em contato com a assessoria de comunicação da prefeitura de Arapiraca que se limitou a dizer "já voltaram a funcionar normalmente".