Igreja do Texas é reaberta sete dias após atentado que deixou 26 mortos

Templo foi transformado em memorial e reuniu mais de 100 pessoas, entre familiares e amigos, das vítimas.

Foto: Reuters


Sete dias após o atentado que matou 26 pessoas, e feriu outras 24, há quatro dias, no Texas, a Primeira Igreja Batista de Sutherland Springs, no Texas, foi reaberta. Neste domingo (12), no mesmo horário em que Devin Patrick Kelley, um ex-oficial da Força Aérea dos Estados Unidos, entrou no pequeno templo com uma arma semiautomática em punho, os fiéis se reuniram em homenagens e orações.

 

As paredes, as janelas e o chão estavam recém-pintados e não tinham nenhuma marca dos tiros. Na última semana, o santuário foi transformado em um memorial. Bancos, carpetes e outros equipamentos foram substituídos em um mutirão.

 

Cada uma das cadeiras da igreja tinha uma única rosa, enrolada em fita branca com o nome da vítima em letras douradas. Conforme a Reuters, nem mesmo a chuva que caiu sob a cidade afastou cerca de 100 pessoas, entre familiares e amigos, que aguardavam para entrar no recinto.

 

"Nós temos a liberdade de pegar aquele prédio que foi atacado, transformá-lo através do amor de Deus e em um memorial, para lembrar todos, para que nunca se esqueçam - o amor nunca falha", disse o pastor Frank Pomeroy, que perdeu a filha de 14 anos no ataque, em missa celebrada mais cedo, em uma tenda próxima à igreja. "Pessoal, nós temos a liberdade de escolher, e ao invés de escolher a escuridão, como um jovem homem fez naquele dia, eu digo que nós escolhamos a luz", desabafou, segundo a agência de notícias.