Alagoas é recordista de medalhas na Olimpíada Brasileira de Matemática de Escolas Públicas

Foram 87 estudantes com medalhas de ouro, prata e bronze; dos quais 82 de unidades públicas de ensino.

Por Edilane Almeida com Agência Alagoas 23/11/2017 - 13:19 hs
Foto: Valdir Rocha


Alagoas teve 87 medalhistas na 13ª edição da Olimpíada de Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP). O resultado foi divulgado na terça-feira (22) no site www.obmep.org.br. Das 87 medalhas obtidas, 82 são de alunos da rede pública e cinco das escolas privadas - que, este ano, participaram pela primeira vez da Olimpíada.

 

A OBMEP é uma iniciativa do Instituto de Matemática Aplicada (IMPA) que, em Alagoas, é coordenada pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal), e que conta com o apoio da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), do Instituto Federal de Alagoas (Ifal) e das secretarias municipais. Ela visa estimular o interesse pela disciplina e revelar talentos na área.

 

Destas 87 medalhas conquistadas pelo Estado, são 4 ouros, 8 pratas e 75 bronzes. Dos 4 ouros, três são do Instituto Federal de Alagoas (Ifal) - Campus Maceió, com os alunos Leonardo Silva Marinho (ouro também em 2016), Jonatas Marinho e Rafael do Nascimento e um de João Rafael de Azeredo, do Colégio Santa Úrsula.

 


A OBMEP teve ainda 374 Menções Honrosas - quando aluno chega perto de obter uma medalha e - premiações para 19 escolas e 17 professores da rede pública. Segundo o coordenador da OBMEP em Alagoas, Adelailson Peixoto, o Estado teve um recorde de medalhistas nesta edição, com  60% dos municípios premiados com pelo menos uma Menção Honrosa.

 

"Tivemos um recorde de ouros, uma marca que só havíamos alcançado em 2011, e uma grande quantidade de bronzes e Menções Honrosas, o que indica que a matemática está sendo melhor absorvida e apreciada nas escolas. Vale destacar também a importância de uma Menção Honrosa, pois, para consegui-la, cada aluno precisou superar 360 concorrentes. E, nas últimas edições, muitos deles, posteriormente, tornaram-se também medalhistas", destaca.

 

Alagoas teve 87 medalhistas na 13ª edição da Olimpíada de Brasileira de Matemática das Escolas Públicas

 

Municípios que se destacaram


Peixoto aponta ainda alguns municípios que se destacaram individualmente na competição, a exemplo de Coruripe, Coité do Noia, Branquinha, Taquarana e Arapiraca. "Coruripe, foi sem dúvida, o município com o melhor resultado na olimpíada, com o maior número de medalhistas de bronze, uma prata, cinco professores e três escolas premiadas. Coité do Noia, um tradicional celeiro de medalhistas, manteve o seu bom desempenho, enquanto Branquinha tem sido uma grata surpresa, pois vem se destacando cada vez mais na olimpíada. Taquarana também tem feito um bom trabalho e Arapiraca teve mais de 150 Menções Honrosas e diversos medalhistas", enumera o professor.

 

Na rede estadual, ao todo 17 alunos da rede estadual conseguiram obter medalha de bronze na OBMEP. Três unidades tiveram mais de um medalhista: Escola Estadual Álvaro Paes, de Coité do Noia, com Maria Karla Barbosa de Lima (trimedalhista de bronze da OBMEP, sendo uma pela rede municipal e duas pela estadual) e Jardel Ramos da Silva; Escola Estadual Luiz Augusto, de Delmiro Gouveia, com os alunos Maria Luana Gomes e Ruan Lima Pinto; e o Colégio Tiradentes, da Polícia Militar, com as alunas Livia Caroline Barbosa, Nathalia Rodrigues de Aguiar (ambas da Unidade Agreste) e Chloe Sophia Golubieski (Unidade Maceió).

 

 

Foram medalhistas ainda pela rede estadual os estudantes Robert Rodrigo Oliveira, da Escola Laura Chagas (Santana do Ipanema); Luiz Victor Ferreira, da Escola Dr Paulo de Castro Sarmento (União dos Palmares); Vitor Barcelos de Cerqueira, da Escola Moreira e Silva (Maceió); Pedro Lucas Cardoso, da Escola Estadual Manoel de Matos (Santana do Mundaú); Daniel José Rocha, da Escola Nossa Senhora da Conceição (Craibas); Reginaldo da Silva Campos, da Escola Padre Teófanes de Araujo (São José da Laje); Davi Paulino dos Santos, da Escola Maria Amélia Sampaio Luz (Igaci); Elwison Silva dos Santos, Escola Fernandes Lima (Maceió); Emerson Santos da Silva, da Escola Manoel Passos Lima (Palmeira dos Índios) e Gabriel da Silva Batista, da Escola Estadual Padre Aurélio Gois (Junqueiro).

 


Ricardo Lisboa, superintendente de Políticas Educacionais da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), comemora o resultado registrado na rede estadual de ensino. "Foram 17 medalhas e 90 Menções Honrosas, algo que nunca tivemos na rede estadual", destacou.  

 

Lisboa atribui o resultado a um trabalho feito junto a professores e escolas da rede estadual. "As Olimpíadas de Conhecimentos nos oportunizam dar sequência a um trabalho continuado com os professores de matemática nas escolas e, nesse sentido, preparar os alunos. Acreditamos que a OBMEP é, acima de tudo, uma ferramenta valiosa para a disseminação e expansão da matemática. Agora, a ideia é nos prepararmos ainda mais", disse o superintendente.