Barraqueiros da Barra de São Miguel realizam protesto na AL-101 sul

O protesto – orquestrado pela Associação dos Barraqueiros de Barra de São Miguel – teve o objetivo de chamar a atenção da população sobre a determinação da Secretaria de Patrimônio da União (SPU) em demolir as barracas construídas.

Foto: Cortesia


Comerciantes da cidade de Barra de São Miguel realizaram um protesto – na tarde desta terça-feira, 12 – na AL-101 sul  contra a demolição das 13 barracas construídas no local há anos. Durante a manifestação, que durou aproximadamente uma hora, os barraqueiros bloquearam os dois sentidos da rodovia estadual ateando fogo em pedaços de madeira e pneus.

 

O protesto – orquestrado pela Associação dos Barraqueiros de Barra de São Miguel – teve o objetivo de chamar a atenção da população sobre a determinação da Secretaria de Patrimônio da União (SPU) em demolir as barracas construídas de forma irregular na orla da Vila Niquim, naquele município.

 

Os barraqueiros informaram que a Secretaria de Patrimônio da União deu um prazo até o dia 19 de fevereiro para os 13 barraqueiros deixarem o local, mas que não sabiam que as barracas seriam lacradas pela Prefeitura da Barra de São Miguel nesta terça-feira,12.

 

“O protesto se fez necessário para chamar a atenção para o problema. Queremos fazer um acordo com os governantes, queremos trabalhar. Não queremos baterna, mas infelizmente as coisas só acontecem se for desta forma”, disse a presidente da Associação dos Barraqueiros, Eliane da Silva.

 

Silva acrescentou ainda que os barraqueiros irão se reunir nesta tarde com o juiz responsável pela comarca de Barra de São Miguel para tentar um acordo. A demolição das barracas faz parte da programação da reurbanização da orla de Barra de São Miguel, que deverá ser feita pela Secretaria do Patrimônio, assim como na Praia do Francês, em Marechal Deodoro.