2017 foi marcado por um calendário intenso de atividades na Diteal

O ano trouxe importantes parcerias e formação de novas plateias

Por Edilane Almeida com Agência Alagoas 26/12/2017 - 12:40 hs
Foto: Ascom, Adalberto Farias, Adaílson Calheiros


Nada melhor que chegar a um fim de ano com motivos para comemorar, ainda mais quando se trata de arte e cultura. O ano de 2017 foi marcado por um calendário intenso de atividades nos Teatros Deodoro e de Arena Sérgio Cardoso e no Complexo Cultural Teatro Deodoro. Esses espaços são administrados pela Diretoria de Teatros do Estado de Alagoas (Diteal), que registra mais uma temporada intensa de eventos, seja por projetos realizados pela instituição e em parcerias ou por locação de espaço. Artistas e produtores encontraram portas abertas ao longo do ano para ensaios, eventos e realizações.

 

 

Entre as atividades desenvolvidas este ano, destaque para a 18ª edição do Teatro Deodoro é o Maior Barato, projeto mais antigo da casa. Em maio, foi aberto edital para selecionar grupos artístico-culturais que se apresentariam no palco oficial centenário do Estado, patrimônio de Alagoas: o Teatro Deodoro. Vinte e quatro grupos foram selecionados, entre teatro, dança, circo e música popular e erudita, para apresentações todas as quartas-feiras, às 19h30. Mais de sete mil pessoas compareceram aos eventos da 18ª edição Teatro Deodoro é o Maior Barato, consagrando ainda mais o ouro da casa.  

 

Um evento que ficou na história da Diteal em 2017 foi o aniversário de 45 anos do Teatro de Arena Sérgio Cardoso, anexo ao Deodoro. Para celebrar a data, foi realizada a Mostra Alagoana de Cultura Hip-hop, em parceria com o Coletivo NoisQFaiz. A programação incluiu roda de conversa, break e muita música. O pátio e o teatro ficaram tomados por rimas, batidas e movimentos. Tinham moradores de Maceió e do interior do Estado unidos pelo amor à cultura hip-hop.

 

 

Na semana depois do aniversário, a Diteal deu início à 13ª edição do projeto Quinta no Arena. O edital selecionou 20 grupos para apresentações todas as quintas-feiras, às 19h30, no Teatro de Arena Sérgio Cardoso. Mais de duas mil pessoas assistiram às apresentações, o que garante a permanência do projeto na grade de 2018.

 

Outro evento da Diteal que merece destaque foi o aniversário de 107 anos do Teatro Deodoro. Com vasta programação, as comemorações tiveram início na terça-feira e foram até domingo com teatro, música, dança e palhaçaria. Os espetáculos que subiram ao palco do Deodoro foram produzidos especialmente para as comemorações do aniversário e as atrações da Praça Deodoro contemplaram grupos que ocupam o complexo como base para seus ensaios e criações artísticas. A bailarina Emília Clark apresentou o espetáculo Terra dos Diamantes como resultado do projeto Ballet a Serviço da Educação, realizado em parceria com a Diteal.

 

O Grupo Infinito Enquanto Truque trouxe Lael Correia de volta, na direção do novo espetáculo Evoé, e nomes como Otávio Cabral, Diva Gonçalves, Naélinton Santos no elenco. Patrimônio vivo de Alagoas, Chau do Pife lançou o 4º CD Meu Pife, Meu Amigo. Já Andrea Lais vivenciou o lançamento do primeiro CD Solar. Teve um grande encontro da música brasileira com o Duofel e Orquestra Filarmônica de Alagoas dividindo o palco no espetáculo The Beatles, o concerto, que teve duas sessões lotadas.

 

Já no Complexo Cultural Teatro Deodoro, foram realizadas nove exposições em 2017. As mostras Cama, coletiva com mais de 40 artistas organizada pela Associação dos Artistas Visuais Profissionais de Alagoas; Naif Tânia, da artista Tânia de Maya Pedrosa; III Salão Nacional de Arte Contemporânea de Alagoas, coletiva com mais de 60 artistas; A Floresta Encantada de Manoel da Marinheira, promovida pela Imprensa Oficial do Estado, em parceria com a Diteal em homenagem aos 200 anos de Alagoas; Angola: viajando com os olhos, do fotógrafo Ailton Cruz, e Memórias: narrativas em preto e branco, do fotógrafo e antropólogo Siloé Amorim; Cida Madeira, Vieira Mulher, da artista Cida Vieira; e, encerrando o ano,  Gabeia – Você nunca mais verá com outros olhos, coletiva organizada pela Agência Fragma, e a 4ª Mostra Alagoana de Fotojornalismo e Vídeo, promovida pela Associação dos Repórteres Fotográficos e Cinematográficos de Alagoas (Arfoc).

 

 

Mais de 12 mil pessoas contemplaram a produção artística local e nacional este ano, na galeria do Complexo Cultural Teatro Deodoro.

 

Também no Complexo Cultural Teatro Deodoro, o projeto Quartas Eruditas atraiu mais de duas mil pessoas. A maioria, alunos da rede pública de ensino. Foram apresentados sete concertos didáticos com a Camerata Ero Dictus, do Instituto de Cultura Ero Dictus, parceiro da Diteal nesta ideia. O projeto foi realizado nas últimas quartas-feiras do mês, às 15h30, na Sala de Música do Complexo. Entre as visitas ilustres, uma emocionou mais ainda realizadores e músicos: o menino Cauã, surdo que participou intensamente reagindo às músicas e regendo o grupo. Toda a equipe se sentiu gratificada por poder promover a inclusão social por meio da música. Cauã sentia a vibração da música e disse que amou a experiência.

 

Outro projeto de formação de plateia e de promoção da música erudita dentro do circuito cultural da diretoria é o Quinta Sinfônica, no Teatro Deodoro, feito por meio de uma parceria entre a Diteal, a Secretaria da Cultura do Estado de Alagoas, Secult, e a Orquestra Sinfônica da Ufal. Foram oferecidos oito concertos gratuitos à comunidade, na última quinta-feira do mês, às 20h. Mais de duas mil pessoas estiveram no teatro para prestigiar o concerto que recebeu muitos convidados ao longo do ano, a exemplo da Maceió Big Band.

 

 

O porão do Teatro Deodoro e o Café da Linda foram espaços também utilizados por artistas e produtores em 2017. As peças Incelença, do Grupo Volante Teatro, e Negreiros, da Cia LaCasa, estiveram em cartaz no porão. Já o Café da Linda recebeu as exposições Amantes de A a Z, do artista Levy Paz; Face a Face com as Faces de Nena Margarida, de Nena Margarida; Amálgama, de Dênys Oliveira, A Poesia das Cores, de Waldemir da Silva; Pontos de Vista, de Gilvan Ciríaco; Olhares Alagoanos, coletiva organizada pela Agência Fragma; Sonhos, de Ana Pereira e Jasmin Buarque, além de uma mostra do Festijal. O fosso, espaço reservado embaixo do palco para apresentações ao vivo de uma orquestra durante um espetáculo, também foi ocupado na tragédia grega clássica Édipo Rei, no Teatro Deodoro é o Maior Barato.

 

“Foi um ano muito positivo para a Diteal e a cultura alagoana em geral com uma somatória de público de mais de 30 mil pessoas. Tivemos continuidade de projetos importantes e o nosso diálogo com os grupos artístico-culturais permanece aberto para 2018. Estamos com edital para exposição na galeria do Complexo Cultural Teatro Deodoro aberto até 25 de janeiro e manteremos nossos editais já consagrados do Teatro Deodoro é o Maior Barato e Quinta no Arena. Pedimos que nos sigam nas redes sociais e pelo endereço eletrônico www.diteal.al.gov.br para acompanhar nossas atividades e programação”, diz a diretora presidente da Diteal, Sheila Maluf.

 

“O ano nos mostrou, mais uma vez, o comprometimento da Diteal como fazer artístico e cultural local, e a satisfação em contar com a nossa equipe para realizar as ações. Destacamos ainda a alegria de encontrar grandes parceiros, criando e realizando momentos únicos e de extrema importância para o nosso segmento”, reforçou o gerente artístico e cultural da Diteal, Alexandre Holanda.