Familiares iniciam campanha para tratamento do jornalista Marcelino Freitas Neto

Marcelino foi diagnosticado com ELA e precisa fazer uma viagem a São Paulo para se consultar com um especialista.

Por Luciano Ribeiro/Estagiário com Gazetaweb 09/01/2018 - 16:35 hs
Foto: Reprodução


Familiares e amigos do jornalista Marcelino Freitas Neto iniciaram, esta semana, uma campanha a fim de arrecadar fundos para que ele possa fazer o tratamento da Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA). As doações podem ser feitas por meio de uma conta corrente e também com a aquisição de rifas.

 

As colaborações estão concentradas na conta da irmã de Marcelino, Glória Adélia Freitas (Banco do Brasil; agência 0007-8 e conta 12.359-5). Já a rifa, de um celular Moto G 5S novo, pode ser comprada diretamente à família e por apenas R$ 10 cada. Talões também estão sendo comercializados.

 

Os recursos arrecadados serão utilizados para uma viagem a São Paulo, onde o jornalista deve passar por uma consulta com um especialista na doença degenerativa. Além disso, o dinheiro será utilizado para a compra de medicamentos. 

 

"Esta é uma atividade inicial. Vamos levá-lo a São Paulo e temos também a parte dos cuidados, já que precisamos de uma quantia considerável para que os mesmos sejam iniciados, além da questão da medicação. Queremos envolver as pessoas que gostam dele. Será uma rede de solidariedade muito grande", diz a prima Graça Carvalho.

 

Ela acrescenta que a participação já é significativa. "A campanha da rifa começou ontem, e já conseguimos uma adesão grande. O sorteio acontece no dia 18 de março, quando ele completa 40 anos", revela Graça. "Alguns estão comprando a rifa, enquanto outros estão doando, mas muita gente, no geral, está participando", emenda.

 

Mais informações sobre como ajudar Marcelino Freitas Neto podem ser obtidas com a família pelo número 98884-9484. 

 

A Esclerose Lateral Amiotrófica é uma doença caracterizada pela degeneração progressiva dos neurônios motores no cérebro e na medula espinhal. Com a interrupção do envio de impulsos para os músculos, tem-se uma atrofia muscular, seguida de uma fraqueza crescente.