Polícia não aponta suspeitos de chacina em Jacaré dos Homens

Crime aconteceu em setembro do ano passado, mas inquérito, já remetido ao Ministério Público, não fala em autores

Por redação | Portal AlagoasNT.com.br 11/01/2018 - 07:59 hs
Foto: Reprodução


A Polícia Civil encerrou as investigações acerca do assassinato de quatro jovens da mesma família, registrado em setembro do ano passado, na cidade de Jacaré dos Homens, Sertão alagoano. Segundo o delegado responsável pelo inquérito, Rômulo Menezes, os levantamentos não foram o bastante para se apontar a autoria do crime classificado como uma chacina.

 

À reportagem, Rômulo revelou que o inquérito, inclusive, já foi remetido à Justiça. Agora, o delegado aguarda o parecer do promotor Arlen Silva Bitro, da cidade de Batalha, que irá se posicionar pelo arquivamento ou retomada das investigações. 

 

"Estamos apenas esperando a manifestação do promotor para sabermos o que será feito a partir de agora. O crime continua sendo um mistério. O que conseguimos colher foram apenas suposições", disse a autoridade policial.

 

O delegado lembra que o mais velho entre os quatro jovens mortos na chacina - ele também era o único maior de idade - já possuía passagens pela polícia por vários crimes, a exemplo de latrocínio, que é o roubo seguido de morte. 

 

Ainda à Gazetaweb, o delegado disse acreditar que o envolvimento do rapaz com o crimes pode ter ligação com as mortes, de modo que Samuel de Souza Alexandre, 22 anos, teria sido vítima de vingança. "Porém, não conseguimos confirmar esta tese ao longo do inquérito", emendou.

 

As vítimas foram identificadas como J.F., de 14 anos, J.S.A., 15 anos, J.J.S.A., de 15, e Samuel de Souza Alexandre, 22 anos, foram encontrados na zona rural da cidade de Jacaré dos Homens em avançado estado de putrefação. J.F. era primo dos demais, todos irmãos.

 

Populares teriam encontrado os corpos e acionado o 7º Batalhão, cujos militares estiveram no local acompanhados dos Institutos de Criminalística (IC) e Médico Legal (IML), que realizaram a perícia e a remoção dos corpos, respectivamente.